Papa lamenta profundamente a morte de Shimon Peres.

Em um telegrama endereçado ao atual Chefe de Estado israelense, Reuven Rivlin, Francisco expressa as suas “mais sentidas condolências” a todo o povo israelense, recordando com afeto o tempo passado com Peres no Vaticano e renovando o seu “grande apreço” pelos seus “esforços incansáveis” em favor da paz.

O Pontífice expressa o desejo de que a memória de Shimon Peres inspire todos “a trabalhar com sempre maior urgência pela paz e a reconciliação entre os povos. Deste modo, a sua herança será realmente honrada e o bem comum pelo qual trabalhou com tanta diligência encontrará novas expressões”, enquanto “a humanidade se esforça para avançar no caminho de uma paz duradoura”.

O Papa conclui a mensagem de pesar assegurando as suas orações “por todos que estão em luto, sobretudo a família Peres” e invoca “as bênçãos divinas de consolação e força sobre a nação”.

Shimon Peres, o último dos pais fundadores de Israel, faleceu na noite de terça-feira (27/09) aos 93 anos, depois de duas semanas de internação devido a um AVC.

Entrou para a história como um dos artífices do Acordo de Oslo em 1993, recebendo o Prêmio Nobel da Paz.

Os funerais terão lugar em Jerusalém. Peres será sepultado entre os Grandes da Nação no cemitério do Monte Herz, em Jerusalém.

(JE)

Fonte: Cidade do Vaticano (RV) – 28 de setembro de 2016.